Convênio tem obrigação de pagar mastectomia para homens trans

Convênio tem obrigação de pagar mastectomia para homens trans

março 26, 2020 3 Por Rubia Cely

A cirurgia de mastectomia, ou mamoplastia masculinizadora, é um dos grandes desejos dos homens trans. Isso porque, na maioria dos casos, a disforia de gênero é tão intensa que os homens trans utilizam bandagens para reduzir o volume dos seios, o que pode machucar bastante.

A cirurgia de mastectomia é a retirada definitiva de mamas, adequando-as à identidade de gênero do homem trans. O formato das mamas passa a ter um aspecto mais masculino.

Existem três formas de fazer a cirurgia hoje no Brasil. A primeira é fazê-la pelo SUS – Sistema Único de Saúde. Entretanto, há apenas 5 hospitais públicos no Brasil que fazem essa cirurgia, por isso as filas de espera são tão grandes.

A segunda forma é fazer o procedimento cirúrgico com um médico particular. Entretanto, como a cirurgia ainda é muito cara, a maioria dos homens trans acabam se endividando para realizar a mamoplastia.

Uma alternativa a essas dificuldades, pouco difundida entre a comunidade trans, é a possibilidade de conseguir a liberação da cirurgia pelo plano de saúde. Sim, os convênios são obrigados a liberar a mastectomia.

É comum os planos alegarem que a cirurgia é estética e se negarem a fazer. Mas esse argumento não é verdadeiro. A mastectomia é uma cirurgia que faz parte do processo transexualizador, sendo indispensável para a saúde da pessoa trans.

Por isso, não caiam nessa conversa do plano de saúde. Ao entrar com o processo na justiça, a pessoa trans tem grande probabilidade de conseguir a liberação da cirurgia, porque cada vez mais a justiça tem reconhecido esse direito aos homens trans.

Que saber mais sobre como conseguir a liberação da mastectomia pelo plano de saúde, me mande uma mensagem.

E aí Bicha, gostou do texto? Então dá uma olhada no nosso trabalho no instagram @bicha_da_justica.