Diversidade no ambiente de trabalho: você é coerente com as soft skills?

Diversidade no ambiente de trabalho: você é coerente com as soft skills?

maio 11, 2022 0 Por Renata Rocha

Atualmente, muito se fala sobre a importância das soft skills, ou seja, as competências comportamentais que vão além das habilidades técnicas de um profissional. Saber conviver com as diferenças é uma delas. Afinal, não dá para mencionar esse termo tão popular sem considerar o respeito à diversidade no ambiente de trabalho como um elemento imprescindível.

Sua empresa preza por pessoas com soft skills na equipe? Se sim, já parou para pensar que é incompatível incentivar a contratação de empregados assim, mas manter quem não respeita os indivíduos LGBTQIA+ no quadro de funcionários? Antes de tudo, precisamos ser coerentes na prática, e isso começa com ações reais para promover a diversidade. Saiba mais!

 

Pinkwashing aqui, não!

Apoiar a comunidade LGBTQIA+ nas redes sociais, mas na hora de contribuir ativamente com a diversidade no ambiente de trabalho, fugir ou passar pano para funcionários LGBTfóbicos… Não tem mais desculpa para agir assim, né? Tem até nome para isso: pinkwashing (lavagem rosa, em tradução livre).

A apropriação de movimentos de liberdade sexual e de gênero apenas para promover uma empresa, enquanto nos bastidores a história é outra, já é percebida logo de cara. Ninguém mais cai nessa! Hoje em dia, as máscaras de uma organização que se declara “gay-friendly”, e no cotidiano age diferente, caem rapidamente.

A solução não é contratar uma agência de publicidade melhor, mas realmente trazer ações inclusivas e contra o preconceito para dentro da sua organização. O mesmo vale para as soft skills. Quantas empresas que analisam essas competências nos currículos dos candidatos têm uma política efetiva para punir a discriminação? E como é a sua?

 

Diversidade no ambiente de trabalho como soft skill

Já passou a época em que ter o currículo cheio era a prioridade do RH no momento de analisar um candidato. Os destaques da atualidade são criatividade, inteligência emocional, empatia, comunicação eficiente, colaboração, gerenciamento do tempo e várias outras soft skills.

A mais falada nos últimos tempos é a famosa D&I (diversidade e inclusão). Contratar funcionários LGBTQIA+ e construir uma liderança inclusiva são ações importantíssimas, mas ainda são o mínimo e o básico. Não adianta parar por aí e não ter uma estrutura sólida na sua empresa para receber essas pessoas. As medidas de educação e repreensão de pessoas preconceituosas precisam ser pensadas, afinal, LGBTfobia é crime.

Como já detalhamos aqui, é essencial ter políticas de diversidade e inclusão bem estruturadas, capacitação técnica dos setores contra a LGBTfobia, organização dos sistemas internos, construção de soluções jurídicas e muito mais! Você precisa traçar um plano completo de diversidade no ambiente de trabalho, que inclua primeiramente um local livre de preconceito, respeito ao nome social, banheiro conforme identidade de gênero, benefícios que incluam os funcionários LGBTQIA+, licença maternidade/paternidade para qualquer configuração de família, etc.

 

Como fazer isso na prática?

A boa notícia é que empresas com políticas de diversidade têm 15% a mais de probabilidade de superar metas, de acordo com a Diversity Matters. E, quando há diversidade nas organizações, elas são 11 vezes mais inovadoras e possuem funcionários 6 vezes mais criativos, segundo a Accenture.

Parece muito? É justamente a função da nossa empresa no Brasil. Sabemos que existem vários passos para elaborar tudo isso, bem antes de pensar em soft skills. Quanto antes você começar, melhor.

Por isso, a Bicha da Justiça tem um time especializado em direitos LGBTQIA+ para te ajudar a implementá-los na prática e estruturar seu programa de diversidade no ambiente de trabalho. Agende um bate-papo conosco aqui!